A liberdade depende da fé

independencia_ou_morteNo mês de setembro comemoramos no Brasil a independência de nossa Pátria, em 7 de setembro de 1822, até então atrelada a Portugal. Historicamente, os fatos que ensejaram aquele momento se deram às margens do Riacho do Ipiranga, em São Paulo. Ali foi erigido um marco para lembrar o episódio do “independência ou morte” proclamado por D. Pedro I, versão, modernamente, contestada por alguns estudiosos. De qualquer forma, a data crava um momento em que deixamos de estar subjugados à nação lusitana. A cada ano recordamos o acontecimento, com desfiles militares nas grandes cidades, desfiles escolares, homenagens, festas, etc. É feriado nacional. O Brasil, com o gesto de D. Pedro I, adquiriu sua liberdade política.

Continuar lendo

Faz de conta

children_027Quando eu era criança, brincar de faz de conta era sempre a melhor brincadeira. Naquela hora, eu e meus amigos éramos tudo o que quiséssemos ser: reis e rainhas, guerreiros de collant colorido batendo em monstros esquisitos, ninjas e samurais, os melhores atiradores, os melhores jogadores, os melhores motoristas e espadachins. Numa dessas, brincando de faz de conta ser índio, vi meu primo acertar uma flecha de palito de churrasco no meio da testa de sua irmã, e a flecha ficar lá, fixa, com o sangue escorrendo pelo rosto da minha prima, que chorava  e gritava, enquanto nós, em pânico, não sabíamos se acudíamos a vítima, elogiávamos o primo por haver acertado no meio, bem certinho, ou ríamos do trágico ocorrido.

Continuar lendo

Paredão

gordo-tristeDez minutos antes estava na farmácia comprando remédio para prisão de ventre. Do meu lado, uma moça bonita. Não sabia que dali a instantes estaríamos deitados lado a lado, nos olhando com emoção intensa.

Sou homem casado, seríssimo e não poria no papel algo que me comprometesse, por isso explico.

Tenho passado um tempo na Praça Seca, enquanto intermináveis obras em meu apartamento são feitas. Domingo, 30 de maio, 18h, precisei sair da Rua Florianópolis e ir à Rua Barão, uma paralela, para comprar remédio e pão. O remédio, comprei.

Continuar lendo

Câncer de mama

17930d_f98d4c9caf394f2782ad9343ebe4950bA proximidade do mês de outubro ganhou mais um motivo para ser lembrado. Muitas pessoas já devem ter percebido que neste mês alguns locais de comércio, turismo, entre outros, ganham um charme especial: a iluminação rosa. O nome do movimento, “Outubro Rosa”, remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

Esta cor feminina entra em destaque como um alerta. De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), é o tipo de câncer mais frequente na mulher brasileira e o segundo tipo mais frequente no mundo.

Com esta campanha, espera-se que com as ações promovidas, principalmente pelo Ministério da Saúde, se estimule a prevenção pelo diagnóstico precoce.
Continuar lendo