Alicerçando a fé

peggys-8473rO apóstolo Paulo diz que o único fundamento possível para a nossa fé é Jesus Cristo. “Ninguém pode lançar outro alicerce”, diz ele em 1Coríntios 3.11. Mas para entender bem o que ele quis dizer, é preciso analisar o contexto dessa afirmação.

Em primeiro lugar, isto quer dizer que falharão todas as tentativas de estabelecer alicerces humanos para a fé. Por isso é que Paulo afirma que, quando foi pregar em Corinto, sua mensagem foi a do “Cristo crucificado”, para que a fé dos coríntios não se baseasse em sabedoria humana, mas no poder de Deus (1Co 2.1-5). E quando ele fala desse poder, refere-se à mensagem simples do Evangelho, de que não se envergonha, porque é o poder de Deus para a salvação de todo mortal (Rm 1.16). Todo o poder de Deus concentrou-se na cruz de Cristo, pela qual o mundo está crucificado para nós, e nós para o mundo (Gl 6.14).

Em segundo lugar, quer dizer que a verdadeira fé não se evidencia por coisas espetaculares, sinais miraculosos ou ocorrências sobrenaturais. Os coríntios tendiam para essas coisas, mas Paulo diz, logo no início, que Deus “escolheu as coisas insignificantes do mundo, as desprezadas e as que nada são, para reduzir a nada as que são, para que nenhum mortal se glorie na presença de Deus” (1Co 2.28,29). No final da carta o apóstolo ainda insiste na simplicidade do Evangelho: “Irmãos, lembro-vos do evangelho que vos anunciei….: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; e foi sepultado; e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1Co 15.1-4). Em outras palavras, é somente disso que precisamos para crer.

Em terceiro lugar, Paulo ensina que, posto o alicerce correto, a construção do resto do edifício, entretanto, depende de nós. Diz ele: “Mas cada um veja como constrói(….). E, se o que alguém constrói sobre esse alicerce é ouro, prata, pedra preciosa, madeira, feno ou palha, a obra de cada um se manifestará; pois aquele dia a demonstrará, pois será revelada pelo fogo, e o fogo testará a obra de cada um” (1Co 3.10,12-13). E não se trata de perder a salvação, pois “se a obra de alguém se queimar, esse sofrerá prejuízo, mas será salvo, como alguém que passa pelo fogo” (1Co 3.15). Quer dizer, o alicerce é importante, mas o que colocamos sobre ele também é importante para a fé.

O apóstolo Paulo diz que a igreja é edificada sobre o “fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra da esquina” (Ef 2.20), significando que o fundamento da igreja é a revelação que Deus fez de si mesmo através daqueles que falaram inspirados pelo Espírito Santo, antes da vinda de Cristo e depois dela, bem como, e principalmente, através dessa própria vinda. Todo o Velho Testamento converge para Cristo. Ele é o único que pôde dizer: “Ouviste o que foi dito (….), eu porém vos digo” (Mt 5.21,22,27,28,33,34,38,39,43,44), mudando o foco da aplicação do que tinha sido escrito. A partir dele, tudo o que os escritores do Velho Testamento disseram, deve ser interpretado à luz da sua Pessoa. Também é ele o assunto primordial do Novo Testamento. O apóstolo João diz que o evangelho foi escrito para que creiamos “que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.” (Jo 20.31). Novamente é o mesmo João que diz que o assunto dos apóstolos é aquilo que eles viram, ouviram, e até tocaram, sobre Jesus Cristo (1Jo 1.1-4). Também Paulo disse: “Porque me propus a nada saber entre vós, a não ser Jesus Cristo, e este crucificado” (1Co 2.2).

Mas, voltando ao primeiro texto citado acima, aprendemos que se o edifício for bem ajustado (construído) sobre esse alicerce, crescerá (Ef 2.21). Quer dizer, é preciso que, além do alicerce, cada coluna, cada viga, cada tijolo, cada madeira, cada telha, etc., esteja no seu devido lugar (no prumo, no nível e no alinhamento), para que o edifício possa ser levantado sem problemas, e com qualidade.

Também no mesmo texto Paulo diz que esse edifício está sendo construído com o objetivo de ser “templo santo no Senhor” e “morada de Deus no Espírito” (Ef 2.21,22). Pedro completa esse pensamento, afirmando que somos pedras vivas, edificados como casa espiritual para sermos sacerdócio santo, a fim de oferecermos sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por meio de Jesus Cristo (1Pe 2.5).

Este é o padrão de Deus para a fé do cristão como indivíduo, e para o fundamento e crescimento da igreja.

Sylvio Macri

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s